Três horas de chuva foram suficientes para trazer o caos para Brasília na noite de terça-feira, 16. Pelo menos 50 carros foram atingidos pelas águas que transformaram ruas e avenidas da capital em corredeiras, 12 das 31 regiões ficaram sem luz, construções foram afetadas.

Na lista de atingidos, dois anexos do Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal, Procuradoria Geral da República, Itamaraty e um hospital público. Todos ficaram sem energia até o início da manhã desta quarta-feira.

Pela manhã, as ruas estavam tomadas de lama e a capital ainda se via às voltas com a falta de luz. Até o fim da tarde, seis circuitos de energia estavam desligados, atingindo, entre outras áreas, a que abastece o Hemocentro da capital federal. Pelo menos 368 reclamações foram registradas pela companhia de abastecimento.

A área central da cidade, o Plano Piloto, foi a mais afetada. O teto de um hospital particular cedeu e as águas das chuvas atingiram a terapia intensiva. O temporal também atingiu a operação do Aeroporto de Brasília, que ficou fechado entre 6h25 e 8h57. No período, 16 voos foram desviados. Os reflexos da interrupção do funcionamento se mantiveram ao longo do dia: até 19 horas, 20 voos haviam sido cancelados e 79, atrasaram.

As chuvas retornaram no fim da tarde desta quarta, provocando novamente pontos de alagamento na Esplanada dos Ministérios e na Rodoviária. Vários chamados foram atendidos em razão de árvores caídas. No Parque da Cidade, carros foram atingidos por troncos e galhos que se desprenderam durante os poucos minutos de chuva.

Durante uma apresentação do ministro da Saúde Arthur Chioro num centro de convenções em Brasília, a plateia formada por representantes da indústria farmacêutica e de laboratórios públicos não escondia a apreensão quando as chuvas recomeçaram. No meio do temporal, água vertia dos lustres instalados na antessala do auditório.

Temendo a repetição do cenário de terça, organizadores adiaram a rodada do Torneio Internacional de Futebol Feminino – prevista para a noite quarta – para quinta-feira. O Instituto Nacional de Meteorologia informou que choveu na noite de terça-feira um terço do que o esperado para todo o mês de dezembro, 142 milímetros.

A grande quantidade de águas ocorre num momento em que o Distrito Federal se vê às voltas com problemas de manutenção. Por falta de pagamento, a manutenção de parques e jardins ficou suspensa e o lixo toma conta de bocas de lobo. Na manhã desta quarta, funcionários de um shopping na área central de Brasília fizeram um mutirão para limpar bueiros.