Brasília

– A direção nacional do PMDB já está praticamente descartando a possibilidade de o partido vir a participar do governo. O presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), disse ontem que a posição correta é o partido manter-se independente, mas continuar apoiando as teses reformistas. O ex-ministro dos Transportes, deputado Eliseu Padilha (RS), disse que o PMDB caminha para a independência comprometido com as reformas e com aqueles pontos de interesse do governo que coincidirem com o programa do partido. Padilha informou que essa tendência ficou clara como majoritária, na reunião da bancada do PMDB na Câmara realizada antes do carnaval. Na avaliação de Temer, o fato de o PMDB não participar da base parlamentar governista pode vir a ser mais útil tanto para o PMDB quanto para o governo. “Não precisamos de cargos para aprovar as reformas”, afirmou. Ele lembrou que as propostas de reforma da Previdência e do sistema tributário já foram exaustivamente discutidas na Câmara, na legislatura passada, observando que todo esse material pode ser recuperado.