Brasília – O ministro José Arnaldo da Fonseca, da 5.ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), indeferiu ontem um pedido de liminar para a imediata soltura do juiz federal João Carlos da Rocha Matos, preso desde novembro, na Casa de Custódia da Polícia Federal, em São Paulo. Um dos argumentos da defesa de Mattos era de que o Tribunal Regional Federal (TRF) da 3.ª Região, na capital paulista, é incompetente para julgar, uma vez que há indícios de envolvimento do subprocurador-geral da República Antônio Augusto César nos crimes.