O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, nesta quinta-feira (13), a queixa-crime oferecida contra o deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP) por sua ex-mulher, Maria Christina Mendes Caldeira. O parlamentar teria cometido os crimes de calúnia e injúria na reportagem "Costa Neto acusa ex-mulher de tentar extorsão", publicada em "O Estado de S. Paulo", em 21 de junho de 2005.

Para o relator do caso, o ministro Joaquim Barbosa, não ficaram caracterizados os crimes. Segundo o STF, na acusação de calúnia, o ministro entendeu que o deputado não apontou de forma precisa nenhum crime a Maria. Quanto à possibilidade de injúria, Barbosa considerou que Costa Neto tentou se defender e não pretendia ofender a honra da esposa ao dizer ao jornal que ela queria cinco minutos de fama.