Com o desabamento do talude da cabeceira da pista principal do Aeroporto de Congonhas, zona sul de São Paulo, ficou ainda maior o movimento no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas da tarde para a noite desta segunda-feira (23). Até as 19 horas, o aeroporto no município a 95 quilômetros da capital recebeu 24 vôos alternados que deveriam pousar em Congonhas, e um que deveria pousar em Guarulhos.

Segundo informou a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), por meio de assessoria de imprensa, o último balanço fornecido pelas companhias, quando o número ainda era de 16 vôos alternados, indicava que ao menos 1.798 passageiros que deveriam desembarcar em São Paulo tiveram seus vôos desviados para Campinas e seguiram para a capital em 36 ônibus disponibilizados para traslados pelas empresas.

Dos 18 vôos regulares programados em Campinas nesta segunda-feira, nove registraram atraso de mais de uma hora e nenhum foi cancelado, segundo a Infraero. Apesar do aumento do movimento e do número de vôos e passageiros no aeroporto no interior, não houve tumulto nem registro de ocorrências pelas companhias.

Viracopos foi oficialmente cogitado como alternativa para o tráfego aéreo de Congonhas e Cumbica, em São Paulo, na sexta-feira, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Extra-oficialmente, o aeroporto tem funcionado para esse fim, sobretudo em situações emergenciais. Somente entre maio e julho, o aeroporto recebeu ao menos 1.500 passageiros que tiveram vôos transferidos de Congonhas e Guarulhos. Desde o acidente com o Airbus da TAM, na terça-feira passada, ao menos 3 mil passageiros já tiveram vôos desviados para Campinas.