Brasília – As siamesas que nasceram anteontem em Brasília são bem saudáveis e têm 90% de chances de sobreviver a uma cirurgia para separar os corpos. Segundo o chefe do berçário do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF) o pediatra Márcio Morem, elas estão unidas pelo fígado e pele na região umbilical. O médico, numa avaliação preliminar, diz que os riscos são os normais de cirurgia, como por exemplo, uma infecção. Cada menina tem fígado próprio, mas os órgãos estão unidos. A extensão dessa ligação está sendo investigada com a realização de cintilografia hepática. Dependendo desse resultado e de vaga na Unidade de Terapia Intensiva será marcada a data da cirurgia, que deve ocorrer no Hospital de Base.