Brasília – Parlamentares do PSDB informaram que está previsto para a próxima sexta-feira (dia 14), no Palácio do Bandeirantes, o anúncio da candidatura do ex-senador José Serra à prefeitura de São Paulo. Será um evento com pompas, para o qual está prevista a presença de líderes políticos e, inclusive, do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A decisão de lançamento da candidatura foi precipitada pela data das prévias que escolheria o candidato do PSDB prevista para este fim de semana. Segundo um tucano, Serra tentou adiar a convenção, mas não conseguiu.

No último fim de semana, ele fez uma ampla consulta aos amigos e aliados políticos mais próximos. Serra está convencido de que está no seu melhor momento eleitoral, tanto em São Paulo, como no Brasil, como mostram pesquisas de opinião. Mesmo assim, deve aguardar até o fim da semana para anunciar a sua decisão. O prazo para lançar sua candidatura termina no dia 16, quando haverá a pré-convenção tucana que escolherá o candidato a prefeito.

“Se ele tinha 80% de chance de ser candidato, depois do episódio Paulo Maluf esse número pulou para 100%. Serra já não esconde mais o desejo de sua candidatura!, disse um dos interlocutores de Serra. Na última quarta-feira, em Brasília, Serra reuniu-se com o secretário de Governo de São Paulo, Arnaldo Madeira, e com o ex-líder do PSDB na Câmara, deputado Jutahy Junior (BA). Madeira trazia uma mensagem do governador Geraldo Alckmin: Serra teria todo o apoio para a sua candidatura.

Além da viabilidade eleitoral, o presidente do PSDB resolveria outro problema em São Paulo, já que hoje existem quatro pré-candidatos tucanos: o ex-presidente José Aníbal, o secretário de Segurança Pública, Saulo Castro de Abreu, e os deputados Zulaiê Cobra e Walter Feldman. Com a entrada de Serra na disputa, os outros quatro devem retirar suas candidaturas.

Serra recebeu uma pesquisa telefônica nacional na qual aparece empatado com Lula para uma eventual eleição presidencial. Os dois estariam com 39%, segundo números em poder de Serra.