Rio – O ex-deputado Sérgio Naya terá de pagar, em 24 horas, indenização de R$ 1,2 milhão a Patrícia Amaral Souza Poyares, ex-moradora do edifício Palace II, que desabou em 1998, matando oito pessoas e deixando outras centenas desabrigadas. Naya é o dono da empresa Sersan, que construiu o Palace II.

A indenização foi determinada pelo juiz da 11ª Vara Cível do Rio, Carlos Eduardo Moreira da Silva. A citação foi feita nesta quinta-feira, no Fórum do Rio, onde Naya prestou depoimento ao juiz Cairo Ítalo França David, da 34ª Vara Criminal sobre a acusação do Ministério Público Estadual de falsidade ideológica e falsificação de documentos ? negadas pelo ex-deputado.

De acordo com as informações divulgadas pela assessoria de Imprensa do Palácio da Justiça, Naya foi citado por ser o representante da Sersan Sociedade de Terraplanagem, Construção Civil e Agropecuária e caso não pague dentro do prazo estipulado, terá os seus bens penhorados.

Em dezembro de 1997, antes do desabamento do Palace II, Patrícia Amaral Souza Poyares entrou com um pedido de indenização contra a Sersan pelo não recebimento da unidade 305, bloco “2”, do edifício dentro do prazo previsto em contrato. Na ocasião, Patrícia optou, juntamente com outros moradores, por mudar-se para o imóvel, uma vez que o próprio contrato previa a entrega até 30 de setembro de 1996. Como a empresa não havia ainda concluído o seu imóvel, pediu então que outro, em perfeitas condições, fosse entregue a ela, o que não aconteceu.

Patrícia entrou também com ação de danos morais devido a um acidente ocorrido no elevador do prédio, quando um funcionário da Sersan morreu e seu corpo ficou esmagado em frente à porta de entrada do seu apartamento, impedindo o acesso.