Brasília – O senador João Pedro (PT-AM), relator da segunda representação contra Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que "não ouvirá ninguém" antes de apresentar seu parecer da denúncia de que Renan teria favorecido a cervejaria Schincariol depois que a empresa comprou uma fábrica superfaturada do irmão dele, o deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL).

João Pedro disse que o relatório fica pronto no início da próxima semana e que apenas matéria da revista Veja, que fez a denúncia, a representação do P-SOL e a defesa de Renan Calheiros são elementos suficientes para fazer seu relatório.

"Não vou ouvir ninguém. Vou trabalhar dentro dessa lógica. Se o Conselho achar que deve ouvir ou pedir documentos, que decida", afirmou.

O senador mostrou-se irritado quando perguntado se não deveria ouvir, pelo menos, os diretores da cervejaria e alegou que o Conselho de Ética não tem autonomia. "O Conselho de Ética não é uma CPI, não tem autonomia, não tem competência [para pedir documentos, diligências e depoimentos]", afirmou.

Ele evitou vincular essa segunda representação à primeira, da qual Renan Calheiros foi absolvido no plenário do Senado, na quarta-feira. "Embora seja o mesmo senador, tenho de dar o caráter técnico de não vincular uma representação a outra", afirmou e acrescentou que não irá revelar o voto que deu em plenário na quarta "por respeito aos outros senadores". Ele acrescentou que seu relatório será conclusivo.