O senador João Pedro (PT-AM) afirmou nesta sexta-feira (14) que apresentará no início da semana que vem ao Conselho de Ética do Senado o relatório do segundo processo contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), sobre suposto favorecimento à cervejaria Schincariol. A primeira representação, rejeitada na quarta-feira pelo plenário da Casa, tratava da denúncia de que ele tinha contas pessoais pagas por um lobista da construtora Mendes Júnior.

Desta vez, Calheiros é acusado de atuar politicamente em favor da Schincariol para reduzir multas impostas à cervejaria no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e pela Receita Federal. Em troca, a empresa teria pago R$ 27 milhões pela fábrica de refrigerante pertencente ao irmão do parlamentar, o deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL), que estava deficitária. A denúncia foi feita pela revista Veja, da Editora Abril.

João Pedro disse não querer vincular seu relatório à primeira representação, apesar de saber que, politicamente, elas estão coladas. Ele afirmou que seu documento será apresentado "sem interferência de ninguém e com a maior tranqüilidade", segundo a Agência Senado, e disse que o relatório vai "dignificar o Senado".

Depois da representação sobre o caso Schincariol, o Conselho de Ética deve analisar a acusação de que Calheiros teria usado "laranjas" para comprar empresas de comunicação em Alagoas.