O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse nesta quinta-feira (23) que o governo está preocupado com a demora na tramitação da proposta de emenda constitucional que prorroga a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). A prorrogação precisa ser aprovada até 31 de dezembro desde ano, quando termina o prazo de vigência do imposto. "O prazo é muito exíguo" constatou Jucá.

Ele lembrou que a tramitação de uma proposta de emenda constitucional no Senado é ainda mais complicado que na Câmara dos Deputados. O motivo é que no Senado o governo terá que negociar com a oposição e na Câmara o governo tem maioria.