O diretor geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman, disse nesta segunda-feira (11) que "já está no forno" o primeiro leilão de linhas de transmissão deste ano. A previsão é que ele seja realizado em setembro.

Deverão ser oferecidos aos investidores algo entre 2.800 e 3.000 quilômetros de novas linhas, com investimento previsto de R$ 2 bilhões. "Todo ano licitamos cerca de 3 mil quilômetros", disse o ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, que participou nesta segunda-feira, junto com Kelman, da assinatura dos contratos de concessão de 10 novas linhas de transmissão leiloadas em dezembro do ano passado.

Nesse leilão de dezembro, foram arrematadas concessões para construir e operar 1.014 quilômetros de novas linhas. A Aneel estima que as empresas vencedoras – Isolux, Abengoa (ambas da Espanha) e Chesf – deverão investir R$ 795 milhões na construção das linhas.

Durante a solenidade, Kelman ressaltou que nas próximas semanas a Aneel deverá publicar uma resolução que aumentará o grau de exigência e qualidade das empresas de transmissão de energia que já detinham linhas antes da atual política de concessões. Segundo ele, esses contratos antigos terão, assim como os novos contratos, previsão de punições para linhas que registrarem interrupções no fornecimento acima do previsto em contrato.