O secretário do Ministério da Educação e Cultura (MEC) Manuel Palácios disse que as críticas à versão prévia do currículo para o ensino básico, apresentada em setembro, não incomodam. “Isso é bom. A proposta preliminar tem a intenção de promover discussão, entendimento.”

O texto foi alvo de críticas de especialistas e até do ex-ministro Renato Janine Ribeiro. Entre os problemas estavam a falta de gramática em Português e lacunas em História. O texto também foi apontado como genérico.

Palácios ainda rebateu as queixas de baixa participação. De acordo com ele, consultores e entidades têm contribuído. Comissões regionais também têm feito debates sobre o texto em todo o País. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.