O Ministério da Saúde, em parceria com estados e municípios, promoverá a segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite, no próximo sábado, dia 25 de agosto. A meta é vacinar, no mínimo, 16,3 milhões de crianças menores de cinco anos, o que corresponde a 95% do total da população nessa faixa etária.

Com o slogan "Segunda dose. Tem que tomar", a campanha contará com 344,4 mil pessoas, entre profissionais de saúde e voluntários, em 92,1 mil postos de vacinação. No transporte, serão utilizados 41,4 mil veículos, 654 embarcações e 10 aeronaves.

Para esta etapa, foram distribuídas cerca de 27 milhões de doses da vacina contra a poliomielite. O investimento na aquisição dessas doses foi de R$ 14 milhões. Também foram repassados R$ 6,3 milhões aos estados para operacionalizar a campanha. 

Além da vacina contra a pólio, também estarão disponíveis nos postos de saúde outras vacinas do calendário nacional, como a tetravalente (difteria, tétano, coqueluche e infecções por hemófilo), tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), rotavírus e hepatite B.

Aproveitando a oportunidade, será realizada a chamada nutricional nos estados de Rondônia, Roraima e Tocantins para acompanhamento da evolução de peso e tamanho das crianças.

Na primeira etapa, realizada em 16 de junho, foram aplicadas cerca de 16 milhões de doses da vacina, alcançando uma cobertura de quase 93%. Assim como na primeira etapa, as garotas-propagandas da campanha são a atriz Heloísa Perissé e suas filhas.

Erradicação

A estratégia de aplicar a Vacina Oral contra a Poliomielite (VOP) em massa foi adotada em 1980, quando foi realizado pela primeira vez o Dia Nacional de Vacinação contra a doença. Essa estratégia levou à erradicação da doença em território nacional. O último caso de pólio foi registrado em 1989, em Sousa, na Paraíba.

A vacina contra a pólio é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a única maneira de erradicar a doença em todo o mundo. O vírus da pólio ainda circula em países da África e da Ásia e causou quase dois mil casos em 2006. Em 2007, foram registrados 283 casos até o mês de julho.