Brasília (AE) – O senador Romeu Tuma (PFL-SP) vai acompanhar as investigações sobre a morte de Carlos Delmonte, legista que atestou marcas de tortura no cadáver de Celso Daniel prefeito do PT em Santo André (SP). Tuma é autor do requerimento aprovado na CPI dos Bingos convocando o legista para depor na comissão parlamentar de inquérito.

Segundo o líder do PFL no Senado, José Agripino (RN), Tuma pode conseguir informações para subsidiar as investigações feitas pela CPI dos Bingos. Para Agripino, a acareação na CPI entre Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e os irmãos Bruno e João Francisco Daniel, irmãos do prefeito de Santo André, ganhou ainda mais importância depois do assassinato do legista.

"Agora temos um fato recente para usarmos na acareação", disse Agripino. A audiência na CPI dos Bingos para ouvir o chefe de gabinete de Lula e os dois irmãos de Celso Daniel foi marcada para o próximo dia 26. Para o líder do PFL, a sétima morte de pessoas ligadas ao crime e às investigações torna o caso do assassinato do prefeito ainda mais nebuloso. "Não podemos ficar calados diante de tantas evidências de que algo muito estranho aconteceu", afirmou.

Em discurso da tribuna do Senado, o senador Heráclito Fortes (PFL-PI), disse estar impressionado com a sucessão de estranhos fatos associados ao assassinato de Celso Daniel. "É a sétima vítima que morre de maneira estranha", afirmou.