O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse ao chegar ao Congresso que não vai tirar férias e que foi um dos votos de abstenção no julgamento de ontem em que os senadores decidiram pela manutenção de seu mandato parlamentar. "Eu próprio votei pela abstenção", afirmou.

Renan ressaltou que após um julgamento de 110 dias registrou uma perda de apenas cinco apoios, referindo-se aos 51 votos que recebeu quando foi eleito presidente do Senado. Acrescentou que não pretende tirar férias. "Não estou cansado", comentou.