Brasília – Os presidentes da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, e da CUT, Luiz Marinho, fizeram um acordo com o presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), para que os deputados votem a reforma sindical no ano que vem, em caráter de urgência, deixando a reforma trabalhista para 2005. Segundo os sindicalistas, João Paulo, que há havia descartado votar as reformas no ano que vem, concordou em pôr a reforma sindical em votação em 2004.