O presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), ministro Francisco Fausto, afirmou ontem que a reforma do Judiciário, em tramitação no Congresso Nacional há mais de 11 anos, não resultará na agilização dos serviços judiciais. “A Reforma não vai resolver em nada o problema da lentidão nos julgamentos, exceto no que diz respeito à eficácia da súmula vinculante.

Mas da maneira como está prevista o resto da proposta, serão feitas mudanças na estrutura do Judiciário e não no trâmite dos processos”, afirmou ao comentar declarações feitas pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos sobre as futuras mudanças constitucionais no Judiciário.