O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), criticou a possibilidade da Casa votar um novo texto que trata sobre redução da maioridade penal. Para ele, é um erro retomar uma discussão que já foi derrubada pelo plenário nesta madrugada. “Isso não vai terminar bem. Querer votar de novo o que foi derrotado ontem é forçação de barra”, declarou.

O petista disse não achar “razoável” a constitucionalização da redução da maioridade e defendeu como solução a retomada do debate sobre a reforma do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Em sua avaliação, insistir na redução é sinal de intransigência. “Vamos fazer a mediação necessária para não transformar a questão que foi decidida numa crise aqui dentro”, apelou.

Guimarães espera contar com a bancada tucana para impedir que um novo texto sobre o assunto passe pelo plenário. Ele lembrou que o texto original determina a redução da maioridade para todos os tipos e crime. “O original é pior que o que foi derrotado. Não quero acreditar que o PSDB vai voltar para o texto original”, afirmou.