Equipe de resgate faz buscas no local
da queda do avião Brasília na selva
amazônica, perto da cidade de Manaus.

Manaus – Um avião de passageiros caiu na selva amazônica ao se aproximar da cidade de Manaus, matando todas as 33 pessoas a bordo. O avião havia desaparecido do radar por volta das 18h30 de sexta-feira, a caminho do aeroporto internacional Eduardo Gomes, disse o major Ernesto Rodrigues. Os destroços foram encontrados na madrugada de ontem.

O avião havia partido de Manaus, para Tefé. De lá foi para São Paulo de Olivença, depois Tabatinga e retornou para Tefé, de onde voltava a Manaus. A aeronave desapareceu nesse trecho, sendo achada às 3h por um helicóptero da Aeronáutica a 16 km da cabeceira da pista do aeroporto de Manaus. Uma equipe formada por militares e bombeiros foi para o local.

Devido ao mau tempo e à mata fechada, o grupo teve que descer na floresta utilizado técnicas de rapel. “Nesta manhã, ficou claro que não havia sobreviventes”, disse Rodrigues. Informes anteriores levantavam a esperança de que houvesse passageiros ou tripulantes vivos. O avião, um Brasília-120, pertencia à empresa Rico Linhas Aéreas. Segundo o vice-presidente da empresa Rico, Metin Yurtsever, as causas do acidente ainda são um mistério para a companhia.

“Não temos idéia do que pode ter causado a queda da aeronave. No último contato antes da queda, o piloto disse apenas que daria prioridade para um avião transportando um doente pousar”, disse. O vice-presidente garantiu que a Rico Linhas Aéreas vai oferecer toda a assistência necessária às famílias das vítimas. Os corpos em melhor estado foram transportados ontem de helicóptero para o IML de Manaus. Os bombeiros permaneciam ontem no local do acidente recolhendo corpos dos mortos. Em agosto de 2002, um outro avião da Rico Linhas Aéreas caiu próximo ao aeroporto internacional de Rio Branco (AC) matando 23 pessoas. Oito sobreviveram.

O corpo de bombeiros de Manaus divulgou na manhã de ontem a lista dos 30 passageiros e dos três tripulantes que viajavam no avião. São eles: Adriano Bezerra Filho, Alex Mello, Alexandre Magalhães, Antônio Barbosa, Antônio Mafra, Caubi Cunha, Carlos Barros, Carlos Damasceno, Cláudio de Jesus, Dauene Souza, Edmar Oliveira, Eneido Oliveira, Fabíola Bernardi, Felipe Cabral, Ivan Saraiva, Jeremias Batalha, José Barros, José Magalhães, José Serra, Juliana Moreira, Marcelo Guedes, Marcelo Leite, Marcos Paulo Menezes, Maria Divina Santoso, Max Moraes, Nelson Lima Jr, Oséias Tavares, Pablo Nobre, Silvia Roinick, Valdomiro Maciel, além dos tripulantes: comandante Rui Cléber, Jati Freitas e Monique de Azevedo.