Liendberg com João Paulo: primeiro
radical a cair.

São Paulo

– A direção nacional do PT já prepara a expulsão da senadora Heloísa Helena (PT-AL). O comando petista deverá encaminhar a abertura de um processo contra ela no Conselho de Ética do partido durante a próxima reunião da executiva nacional petista, prevista para o fim de maio. Outros radicais também podem ser expulsos por causa de sua resistência à reforma da Previdência. Ontem a senadora negou que pretenda ir à Justiça contra a propaganda do governo pela reforma da Previdência.

O fim do processo que poderá tirar Heloísa Helena do PT, prevêem os dirigentes, ocorrerá no mês seguinte, na reunião do diretório nacional da legenda. Caso a senadora participe de ato contra a reforma ou entre na Justiça por causa da campanha publicitária do governo em favor das mudanças na Previdência, como ameaçou domingo, o processo será antecipado.

Segundo um integrante da cúpula do partido, já há elementos suficientes para abrir o processo contra Heloísa Helena. Para ele, não será preciso esperar a votação das reformas para tomar uma atitude. “Ela (Heloísa Helena) não é mais ré primária no PT.” O desgaste com a cúpula do PT começou durante as eleições do ano passado, quando recusou a aliança com o PL em Alagoas e desistiu da sua candidatura ao governo do Estado. Em fevereiro, a senadora voltou a dar trabalho para os dirigentes da legenda ao não comparecer à sessão que elegeu José Sarney (PMDB-AP) presidente do Senado, desrespeitando uma decisão partidária. Por causa disso, foi enquadrada. Agora, ao lado de outros radicais, como o deputado Lindberg Farias (PT-RJ), tira o sono da cúpula petista ao adiantar que votará contra a reforma da Previdência do governo.

O comando do partido diz estar disposto a estender o processo de expulsão no Conselho de Ética a outros rebeldes. “Não temos medo nem receio de expulsar um, dois ou três parlamentares”, afirmou o dirigente. “Mas a Heloísa Helena não tem volta.”

Na Câmara, a reação dos parlamentares petistas à atuação dos infiéis foi muito rápida. Em reunião na casa do deputado Paulo Rocha (PA), ficou decidido que a bancada encaminhará ao líder Pellegrino pedido para que o deputado Lindberg Farias (RJ) seja destituído do cargo de vice-líder. Também ficou acertado que será cobrada do líder a revisão das indicações de petistas para a comissão da Previdência, com o afastamento de Lindberg e da deputada Luciana Genro (RS).

O presidente Lula tem almoço hoje, na casa do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), com toda a bancada do PT. Vai cobrar obediência.