Cerca de mil sem-teto tomaram nesta manhã de quarta-feira, dia 17, o Viaduto do Chá, na região central, onde fica a sede da Prefeitura de São Paulo. Vários grupos do movimento prometem fazer o maior protesto enfrentado até hoje pela gestão de Fernando Haddad (PT). Eles têm a intenção de reunir 10 mil pessoas.

O prédio da Prefeitura foi isolado pela Guarda Civil Metropolitana (GCM), com a colocação de barreiras feitas com cavaletes de aço. Os sem-teto se reuniram na Praça da Sé, no centro, e no Terminal Barra Funda, na zona oeste, antes de seguirem até o Edifício Matarazzo, sede do Executivo Municipal.

Os líderes do movimento se recusam a negociar com o secretário de Habitação, José Floriano de Azevedo Marques Neto (PP) e com um interlocutor escolhido pela pasta. “Não é de bom tom você escolher o interlocutor. Da mesma forma que a Prefeitura não pode escolher com quem conversa”, disse o prefeito.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) aconselhou aos motoristas a evitarem a região.