O Ministério Público ofereceu nesta quarta-feira denúncia à Justiça por supressão de documento e dano ao patrimônio municipal contra 13 pessoas apontadas como responsáveis pelo tumulto na apuração do carnaval de São Paulo, em 21 de fevereiro. Integrantes de escolas de samba invadiram o local da mesa de apuração, rasgaram as cédulas e danificaram equipamentos. O prejuízo foi estimado em R$ 4,6 mil. Se condenados, os réus podem pegar até 9 anos de prisão ? 3 pelo dano e 6 pela supressão de documento.

Entre os denunciados estão os presidentes Darly Silva, o Neguitão (Vai-Vai), Alexandre Furtado (Casa Verde), Antonio Alan Souza Silva (Gaviões da Fiel) e Edilson Carlos Casal (Pérola Negra). A lista é completada por Tiago Faria, da Casa Verde, o primeiro a rasgar votos, Cauê Ferreira, Alexandre Salomão, Washington Campos, Josélia Alves, Maurício José da Silva, Caio de Souza Santos, Wagner da Costa e Renato José Narche Jabur Maluf. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.