A produção industrial registrou queda em dez das 14 regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em abril ante março. Todas as áreas com redução na produção tiveram taxas abaixo da média nacional (-0,1%), com destaque para Goiás (-4,0%) e Espírito Santo (-3,0%) com as quedas mais acentuadas. Entre as áreas que ampliaram a produção, Rio Grande do Sul (2,9%) e Rio de Janeiro (0,8%) alcançaram as taxas mais expressivas, enquanto Santa Catarina e São Paulo (ambas com 0,1%) "praticamente repetem" o patamar de produção do mês anterior .

Na comparação com abril do ano passado, o resultado foi bem diferente e apontou crescimento em dez das 14 regiões investigadas. Nesse indicador (no qual o resultado na média nacional foi de 6,0%), os destaques positivos ficaram com o Rio Grande do Sul (16,1%) e o Paraná (13,2%). Com expansão acima da média nacional estiveram ainda Minas Gerais (9,7%), Santa Catarina (8,7%) e Pernambuco (6,5%).

Também com resultados positivos, porém abaixo do crescimento do País , aparecem: São Paulo (4,7%), Rio de Janeiro (4,5%), Amazonas (3,6%), Espírito Santo (2,1%) e Pará (1,3%). Entre os locais que apresentaram quedas, as reduções mais acentuadas ocorreram em Goiás (-3,1%) e na Bahia (-6,7%).