O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Plínio de Aguiar Júnior, disse que a decisão da agência de proibir as empresas de telefonia de fazerem propaganda de planos individuais, divulgada nesta terça-feira (12), foi tomada para evitar uma confusão maior, neste momento em que a forma de cobrança está mudando do sistema de pulsos para o de minutos. "Há muita desinformação, e o único intuito da Anatel foi o de não confundir o consumidor neste período de conversão", disse Aguiar Júnior, após participar de audiência pública na Câmara dos Deputados.

Ele esclareceu que as empresas só não podem fazer propaganda de seus planos, até 31 de julho, mas estão liberadas para comercializá-los. Segundo o presidente da Anatel, as empresas continuam tendo que divulgar esclarecimentos ao público sobre os planos que são obrigadas a oferecer: o básico, indicado para quem faz ligações de menos de três minutos, e o alternativo, ideal para o cliente que faz chamadas longas ou que usa o telefone para se conectar à internet.

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, segundo Aguiar Júnior, fará em julho uma campanha na televisão para esclarecer a população sobre a mudança.

A decisão da Anatel atende a uma preocupação manifestada pelos órgãos de defesa do consumidor em relação à confusão que a mudança estava gerando entre os consumidores. "Então, isso nos levou a emitir esse despacho, exatamente para não poluir este momento tão importante", afirmou.