Rio de Janeiro – Três policiais militares, um deles lotado no Palácio Guanabara, e um traficante foram presos por agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) após terem negociado armas na Linha Amarela, via expressa que liga as zonas norte e oeste. A operação aconteceu na madrugada de ontem.

O soldado Ricardo da Silva Ribeiro, da 1.ª Companhia Independente da PM, que faz a segurança do palácio, sede do governo estadual, foi preso junto com Anderson Lepletir Sorzini, ligado ao tráfico no Morro do Dendê, na Ilha do Governador, zona norte. Ribeiro é acusado de trabalhar como segurança para traficantes da Ilha nas horas de folga.

Ribeiro e Sorzini estavam em um Monza e se encontraram, na Linha Amarela, perto da 21.ª Delegacia Policial (Bonsucesso), com o cabo Antônio Eugênio Freitas e o soldado Anderson Almeida Moreira, ambos do 3.º Batalhão da PM (Méier).

Freitas e Moreira estavam fardados e usavam um carro da PM. Eles venderam três pistolas sem registro e munição para Ribeiro e Sorzini.

Os agentes da DRE acompanharam a transação e, em seguida, prenderam Ribeiro e Sorzini em frente à Favela Parque Royal, na Ilha. Os dois outros PMs foram presos pela Corregedoria Unificada de Polícia ao chegarem ao quartel. Com eles foram apreendidos R$ 5 mil.

Os quatro acusados responderão na Justiça pelos crimes de associação com o tráfico, porte e comércio ilegal de armas. A PM instaurou um inquérito para apurar o caso. Há três meses, a DRE investiga o tráfico de drogas no Morro do Dendê.