Rio – Trezentos policiais civis voltaram a ter os telefones celulares retidos ontem pela Secretaria de Segurança Pública do RJ, antes de operações em duas favelas, do Sapo, em Senador Camará, e da Fazendinha, no Complexo do Alemão. Dessa vez, o alvo era o Comando Vermelho. A estratégia de sexta-feira foi repetida: inspetores e detetives reuniram-se na Academia de Polícia de madrugada. O destino deles foi revelado às 5 horas. O secretário Anthony Garotinho classificou de “maldosas” reportagens destacando a suposta desconfiança da cúpula da polícia em relação aos agentes. “Não desconfio da corporação como um todo, que é honesta, mas pessoas erradas existem em todas as instituições”, justificou-se o secretário, no programa de rádio semanal da governadora Rosinha Garotinho.