Foto: ABr
Foto: ABr

O acidente com o Airbus da TAM deixou 199 vítimas, em 17 de julho de 2007.

O delegado Antônio Carlos Barbosa, do 27º Distrito Policial de São Paulo, no Campo Belo, informou que até segunda-feira (28) pelo menos sete pessoas poderiam ser responsabilizadas pelo acidente com o Airbus da TAM, em 17 de julho de 2007 ao lado do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, que deixou 199 vítimas. ?Nesse estágio das investigações podemos vislumbrar sete ou oito pessoas que de alguma forma, por ação ou omissão, têm alguma responsabilidade no acidente?, declarou.

A pouco mais de um mês do prazo que estipulou para concluir o inquérito, Barbosa não informou o nome das pessoas nem garantiu que todas serão indiciadas. A justificativa do delegado é que a divulgação dos nomes poderia atrapalhar o restante da investigação. ?Falta o principal, que é o laudo da perícia?, disse. No sábado, Barbosa esteve em Porto Alegre para a reunião mensal com os familiares das vítimas.

O vice-presidente da Associação de Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo 3054 da TAM (AfavTAM), Archelau Xavier, afirmou que os parentes estão certos de que houve uma série de irresponsabilidades que resultou no choque do Airbus com o prédio da TAMExpress. ?Esperamos que todos os responsáveis sejam indiciados, para que isso não volte a acontecer.

Na semana passada, o delegado declarou que a tragédia poderia ter sido evitada se a regra da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que proibia o pouso de aeronaves com reverso travado em Congonhas tivesse sido respeitada.

Relembre o caso:
TAM confirma em nota acidente no vôo 3054 e disponibiliza 0800
Infraero diz que providências estão sendo tomadas para esclarecer acidente
Bombeiros oficializam 180 corpos do acidente da TAM
Trabalho de peritos no prédio da TAM termina; demolição não está confirmada
OAB estuda pedir exoneração de diretoria da Anac