Um funcionário da Prefeitura de Cordeirópolis (SP) foi indiciado pela Polícia Civil após ser filmado, por outro servidor público, agredindo e matando um pardal. Os dois são concursados e também foram afastados do trabalho pela administração municipal, estando ainda sob investigação interna.

O vídeo foi divulgado pelas redes sociais e gerou revolta, principalmente, de entidades de defesa dos animais. A publicação ocorreu na semana passada e o delegado do município, William Marchi, já ouviu os dois envolvidos.

O caso havia sido registrado através de um TC (Termo Circunstanciado), usado para ocorrências de menor potencial ofensivo, sendo agora encaminhado para o Juizado Especial Criminal que definirá a punição a ser imposta. No vídeo um homem pega o pardal com a mão e diz que vai matá-lo e narrar sua morte, pois a ave seria como um inseto. Também reclama que o passarinho estaria sujando seu carro e “bicando tudo”. Em seguida bate na cabeça do pardal várias vezes para em seguida arremessá-lo com força ao chão.

O vídeo ficou somente dois dias no ar e nesta semana já não era possível acessá-lo na página do envolvido. Porém, outras pessoas copiaram e continuam divulgando as cenas. Os dois servidores não tiveram seus nomes divulgados e não foram localizados pelo Estado para falarem a respeito. A polícia também não divulgou o teor de suas declarações.

Os envolvidos trabalham na Secretaria Municipal de Saúde e, segundo a prefeitura, o processo administrativo a que respondem pode resultar até na exoneração de ambos.