A polícia identificou um dos suspeitos de envolvimento do ataque a um grupo que participava de uma festa em um lava-rápido, na zona sul de São Paulo, na noite do último domingo. Uma pessoa morreu e outras quatro ficaram feridas na ocasião.

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), o suspeito, identificado como Fábio Mol Brito, já teve a prisão preventiva decretada. Ele, porém, ainda não tinha sido preso até a tarde desta quinta-feira.

Uma das vítimas relatou que minutos antes dos disparos houve uma briga e uma pessoa do lado de fora do estabelecimento começou a atirar, sendo que havia aproximadamente 200 pessoas. As pessoas participavam de uma festa de aniversário que acontecia no local.

Foram apreendidos vários estojos de pistola calibre.380 no local do crime. A polícia informou na ocasião, que não foram encontradas testemunhas do crime, apenas o proprietário do comércio que relatou que nada viu, pois estava nos fundos e ouviu os disparos.

Na mesma noite foram registrados assassinatos também em Cotia e Guarulhos, na Grande São Paulo, e na Praia Grande, no litoral de São Paulo, totalizando mais seis pessoas mortas e outras quatro feridas.

Violência

Foram registradas quinta noite violenta em SP desde a semana passada. O pior caso ocorreu entre a noite de segunda e a madrugada de terça-feira, quando oito pessoas foram mortas a tiros Taboão da Serra e Embu das Artes (na Grande São Paulo) após a morte de um PM.

A polícia ainda apura se os crimes estão relacionados. Ontem o governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que todos os crimes registrados como resistência seguida de morte serão apurados pela Corregedoria da PM e o DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).