O delegado da Polícia Federal Aldo Brandão, acusado de provocar vazamento de informações sobre a Operação Xeque-Mate, desencadeada na segunda-feira da semana passada em seis Estados, foi um dos primeiros a prestar depoimento nesta segunda-feira (11) na PF de Campo Grande (MS).

Também estão sendo ouvidos o ex-titular da delegacia de ordem política e social de Mato Grosso do Sul, Marcelo Vargas, e o coronel da PM Marcos Antônio David dos Santos, membro do serviço de informação da PM, todos envolvidos direta e indiretamente com a máfia dos caça-níqueis.

Um total de 67 acusados na operação estão presos em Campo Grande e serão ouvidos quantas vezes for necessário, segundo informou nesta segunda-feira o coordenador da Operação Xeque-Mate, Alexandre Custódio.