A máfia do cigarro que age no Brasil estaria movimentando milhões de dólares em contas no exterior, principalmente nos bancos suíços, de acordo com uma investigação que está sendo conduzida pela Polícia Federal (PF).

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que Brasília pediu a colaboração da Justiça suíça para que envie ao País os dados bancários dos suspeitos. A Receita Federal estima que o Brasil perca por ano cerca de US$ 650 milhões em sonegação fiscal com o comércio ilegal de cigarro e com o contrabando vindo principalmente do Paraguai.

Por enquanto, a Polícia Federal não quer divulgar os nomes das empresas e das pessoas suspeitas de fazer parte do esquema milionário. Mas confirma que existe até o envolvimento de funcionários públicos na transferência de dinheiro para o exterior.

Em uma das transferências identificadas pela Polícia, um funcionário público teria enviado a Suíça mais de US$ 1 milhão. Segundo fontes da PF que acompanham o processo, as investigações mostram que existe uma relação íntima entre o comércio ilegal de cigarros e o crime organizado.