Piranhas voltaram a atacar banhistas no balneário de Rancharia, no oeste paulista. Cerca de 14 pessoas foram mordidas no domingo (20). Os bombeiros socorreram a maioria dos feridos. “Fizemos curativos em nove pessoas com cortes nos pés e nos dedos. Elas (piranhas) arrancam o couro e fazem cortes profundos. No fim do ano passado houve um caso de mutilação”, diz Edison de Souza Melo, de 44 anos, cabo do Corpo de Bombeiros da cidade. Outras cinco vítimas foram atendidas na Santa Casa.

Os bombeiros aconselham os banhistas a não nadar na represa: “Não devem entrar na água, as piranhas estão em todo o lago”, avisa o cabo. Além de cinco placas, a prefeitura colocou faixas alertando sobre o perigo. Um carro de som também alerta os banhistas. Um biólogo deverá analisar a situação esta semana. Desde o fim do ano passado, cerca de 40 pessoas foram atacadas no balneário, muito procurado por turistas nos fins de semana e feriados.