A Polícia Federal (PF) tem até a meia-noite de amanhã (20) para prender o candidato a deputado e ex-senador Jader Barbalho (PMDB-PA), acusado de envolvimento no desvio de recursos da extinta Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam). A partir de sábado (21), Jader e todos os candidatos às eleições de outubro ficam imunes à ordem de prisão.

Pela Lei Eleitoral, eles só poderão ser detidos ou presos nos 15 dias anteriores às eleições se houver flagrante delito.

Hoje, o desembargador do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª. Região, Plauto Ribeiro, pediu novas informações sobre o caso ao juiz federal da 2ª. Vara Federal de Cuiabá, Jéferson Schneider, aumentando ainda mais as chances de atraso no julgamento do pedido de reconsideração de habeas-corpus, interposto pelos advogados do ex-senador.

A Justiça Federal de Mato Grosso ordenou a prisão de Jader e mais oito suspeitos de envolvimento no caso Sudam. A decisão foi dada, anteriormente, na madrugada, pelo presidente do tribunal, Antônio Catão. Assessores do TRF afirmaram que o recurso poderá nem mesmo ser analisado por Ribeiro, mas sim, na próxima semana, em sessões de turmas.