Os contratos futuros de petróleo subiram modestamente em Nova York, estabelecendo um piso ao redor de US$ 60,00 o barril, impulsionados pelo vigor dos futuros de óleo para aquecimento. Segundo traders e analistas, o movimento de alta ocorreu apesar das expectativas do mercado de um aumento de 2 milhões de barris nos estoques comerciais de petróleo bruto. Os dados semanais sobre os níveis dos estoques de petróleo e produtos refinados são divulgados as quartas-feiras. "Parece que o mercado tinha esgotado sua baixa hoje e vimos muita cobertura de vendas a descoberto", disse Scott Meyers, analista sênior da Pioneer Futures Inc em Nova York.

Embora os participantes do mercado tenham se dividido sobre os motivos da alta dos futuros de óleo para aquecimento, a combinação de uma expectativa de queda dos estoques comerciais dos combustíveis nos EUA com a notícia de um incêndio na refinaria Amuay, na Venezuela, foi avaliada como um dos possíveis motivos para os ganhos, disse Tom Bentz, broker do BNP Paribas em Nova York. Na Nymex, os contratos de óleo para aquecimento para abril subiram 305 pontos (1,75%), para US$ 1 7722 o galão. A mediana das expectativas dos analistas entrevistados pela Dow Jones é de uma queda de 700 mil barris nos estoques de destilados, que inclui diesel e óleo para aquecimento.

Na Nymex, os contratos de petróleo para abril fecharam em US$ 60 57 o barril, alta de US$ 0,15 (0,25%); a mínima foi de US$ 59,60 e a máxima de US$ 61,00. Os contratos de petróleo para maio fecharam em US$ 62,34 o barril, alta de US$ 0,38 (+0,61%).

Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para maio fecharam em US$ 62,13 o barril, alta de US$ 0,79 (1,29%). A mínima foi de US$ 60,98 e a máxima de US$ 62,41.