As empresas do Paraná ‘lideram’ o ranking 500 Maiores do Sul, o ranking regional de empresas da Região Sul do Brasil publicado anualmente pelo Grupo Amanhã em parceria com a Pwc Brasil, em receita líquida e rentabilidade sobre receita. Na última edição da publicação, 186 companhias paranaenses são destaque na classificação.

Apesar de estar na frente nos dois quesitos, as maiores companhias da região são de Santa Catarina. O ranking é liderado pela Bunge Alimentos, da cidade de Gaspar, seguida pela BRF, de Concórdia. A Copel fica na terceira posição geral.

O material destaca as empresas com os melhores resultados em vendas, lucro e patrimônio – que são os três componentes do Valor Ponderado de Grandeza (VPG), o principal indicador da lista.

Top 10
Copel e controladas
Coamo – Agroindustrial Cooperativa
Klabin S/A
Rumo S/A
Itaipu Binacional
Renault do Brasil
Fertipar
Sanepar
Kirton Bank S/A – Banco Múltiplo
C. Vale – Cooperativa Agroindustrial

A Copel e Controladas ficou em primeiro lugar entre as paranaenses, com VPG de R$ 14,2 bilhões; seguida pela Coamo – Agroindustrial Cooperativa (segundo lugar), com VPG superior a R$ 8 bilhões.

A Klabin abocanhou a terceira posição (VPG superior a R$ 8 bilhões). Depois destas estão a Rumo S/A, quarto lugar e VPG de mais de R$ 6 bilhões; Itaipu Binacional, quinto lugar e VPG de R$ 6,8 bilhões; Renault do Brasil , sexto lugar e VPG de R$ 6,3 bilhões; Fertipar, sétimo lugar – feito inédito da empresa curitibana; Sanepar (oitavo lugar); Kirton Bank S/A – Banco Múltiplo, nono lugar; e a C.Vale – Cooperativa Agroindustrial, décimo lugar. Todas as últimas quatro colocadas tem VPG superior a R$ 4 bilhões.

Maior do Sul

O resultado mais robusto, segundo a publicação, é observado em receita líquida: as companhias do Paraná somaram R$ 207,4 bilhões – valor 12,5% maior que a soma de faturamentos das representantes gaúchas (R$ 184,3 bilhões) e 18,3% maior que a das catarinenses (R$ 175,3 bilhões).

Também no quesito rentabilidade sobre receita a vantagem é paranaense: o índice médio foi de 17,1% – mais que o dobro da média catarinense (8,2%) e praticamente três vezes a das gaúchas, que foi 5,8%.

As informações são da jornalista Camila Machado, do blog Paraná S/A, da Gazeta do Povo.

“Não transfira responsabilidade do seu negócio”, diz empresária como dica a empreendedores