O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, lançou nesta sexta-feira (10), no Rio, uma campanha para redução do número de acidentes de trânsito e no trabalho e da violência sexual e doméstica em decorrência do consumo de bebidas alcoólicas. No lançamento, o ministro disse que o fato de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter feito propaganda para a cachaça brasileira durante viagem à Jamaica, ontem (9), não vai contra a campanha.

"Lá estamos vendendo um produto para exportação. Aqui queremos chamar a atenção para o consumo abusivo", respondeu o ministro. "A política do álcool está vinculada à redução de danos. Não tem nenhum viés moralista ou de proibição. A bebida é socialmente aceitável e pode até ser motivo de alegria e de prazer", completou ele.

A ação tem como base um levantamento do ministério, no ano passado, que indica que um em cada quatro brasileiros do sexo masculino consome álcool abusivamente, ou seja, mais de cinco doses de uma vez. Na média das capitais, o consumo abusivo é de 17,4%. Entre as mulheres, o percentual é de 8%. A campanha de prevenção ao consumo excessivo de álcool entra no ar nesta sexta-feira, no rádio e na televisão. São três filmes de 15 segundos que têm como foco os jovens, a violência e o trânsito.

Propaganda

Antes do início do evento, Temporão, afirmou que o governo não abrirá mão de regular o conteúdo e o horário de exibição de propaganda de bebida alcoólica. Para o ministro, está claro que o Conselho de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar) é insuficiente para banir o incentivo ao consumo excessivo.