O Papa Bento XVI reiterou hoje sua oposição às pesquisas com células embrionárias e afirmou que destruir embriões é “moralmente errado”, independentemente dos benefícios dos tratamentos resultantes. “A destruição de mesmo que seja uma única vida humana jamais pode se justificar pelo benefício que venha possivelmente causar a outra”, disse o Papa.

O comentário foi feito durante encontro sobre o tema, promovido pelo Departamento de Cultura do Vaticano e por uma pequena empresa americana de biotecnologia, a NeoStem Inc. A Igreja defende que a vida começa na concepção. Portanto, o Vaticano é contrário ao uso de células embrionárias, porque o processo envolve a destruição de embriões, mas não se opõe a tratamentos com células-tronco adultas. As informações são da Associated Press.