Antônio Palocci, e o presidente do Partido
dos Trabalhadores, José Genoino, reuniram-se
ontem com a bancada do partido.

Brasília – O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, e o presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), José Genoino, reuniram-se ontem com a bancada do partido no Congresso Nacional, com o objetivo de acertar os primeiros passos a serem dados na próxima legislatura, que começa neste sábado, 1.º de fevereiro. Palocci recebeu do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a missão de tentar acabar com as brigas internas no partido, mas acabou ouvindo críticas à política econômica, especialmente em relação à decisão do Banco Central de elevar a taxa básica de juros em 0,5 ponto.

Muitos parlamentares reclamaram da falta de diálogo com o governo, uma situação já vista nos dois meses seguintes à eleição. Alguns petistas chegaram ser duros em suas críticas, dizendo que Lula está mantendo a mesma política macroeconômica que marcou o governo anterior. Genoino afirmou que o partido está unido para defender as propostas necessárias pelo país para mudar e que, além da bancada petista, o PT continuará negociando com o PMDB para ampliar a base de apoio a Lula no Congresso.

A nova bancada do PT no Congresso é composta por 92 deputados e 14 senadores, mas nem todos estão afinados, como diz Genoino. Este é, por exemplo, o caso da senadora Heloísa Helena, que tem feito críticas contundentes aos planos de Lula. Na véspera, a ala radical do PT teve um encontro para preparar uma lista de críticas e reivindicações ao governo. A maior preocupação diz respeito à abordagem de Lula, considerada conservadora.