Brasília – Apontado pelo deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) como responsável pelo recebimento e distribuição de dinheiro para os candidatos petebistas nas eleições municipais do ano passado, o ex-diretor de Administração e Finanças da Embratur e tesoureiro informal do PTB, Emerson Palmieri, apresenta outra versão para a história. Palmieri confirma que recebeu, com Jefferson, os R$ 4 milhões mandados pelo PT das mãos do publicitário mineiro Marcos Valério. Mas sua participação teria terminado por aí. Ele revelou que entregou todo o dinheiro a Jefferson.

Palmieri nega que tenha feito a distribuição dos R$ 4 milhões, enviados em duas remessas. Ele conta que, com Jefferson, pôs o dinheiro no cofre do partido, localizado na quadra 303 Norte de Brasília, a sede do PTB. Depois disso, ele entregou a chave do cofre para Jefferson. Essa será a linha de defesa que Palmieri vai adotar junto ao Ministério Público, ao Conselho de Ética da Câmara e à CPI dos Correios. Já há requerimento do PSDB para que ele deponha no Conselho de Ética.

?Recebi o dinheiro junto com Jefferson. Colocamos o dinheiro no cofre do partido e entreguei a chave para ele. Depois disso, não sei o que ele fez com os R$ 4 milhões. Não participei da distribuição do dinheiro para os candidatos?, afirmou Palmieri.

Palmieri promete revelar mais detalhes em sua defesa nos depoimentos. Na sexta-feira informou que recebeu um questionário do Ministério Público Federal sobre o seu envolvimento no esquema de pagamento de mensalão e sobre a recepção e distribuição de recursos de caixa dois de campanha eleitoral. Palmieri ocupa o cargo de primeiro-secretário do PTB.