Arquivo
Arquivo

Segundo o ONS, não há risco
de apagão até 2009.

Rio de Janeiro – Os riscos de que o país venha a ter um blecaute nos próximos dois anos são mínimos e estão abaixo do critério de risco estabelecido pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). A garantia foi dada nesta segunda-feira (3) pelo diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp. Ele ressaltou, no entanto, que não há como dar garantias de que esse risco está afastado para um período mais distante.

?Eu diria que o abastecimento está garantido para 2008 e também para 2009. Neste último caso, no entanto, nós ainda estamos olhando com atenção para a região Nordeste, esperando uma configuração mais estável do período úmido para uma melhor posição. As tendências apontadas pelos institutos especializados na previsão do tempo já indicavam período hidrológico favorável nas Regiões Sul e Sudeste e agora também para a Região Nordeste?, disse.

Chipp esclareceu que o ONS faz essas avaliações a partir de uma visão mais pontual e que elas indicam que não haverá problemas para atender a demanda nos próximos dois anos.

?Segundo a curva de aversão a risco para esses próximos dois anos, não haverá problemas, e se ocorrer uma afluência mais desfavorável a gente vai trabalhar com procedimentos. Para 2010 e 2011, depois de dois a três períodos úmidos, ainda não temos como afirmar ou garantir nada. Nós temos é que trabalhar para evitar a possibilidade de falta de energia. Agora, o sistema ainda é predominante hidroelétrico [ele tem 85% de geração hídrica], então ele ainda depende fortemente de água?, afirmou.

Chipp ressaltou decisão recente do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico de aprovar proposta do ONS de adotar procedimento que viabiliza a obtenção de metas ao final do período seca de cada ano.

?Essa autorização nos permitirá maior mobilidade e com isso nós vamos perseguir um determinado nível [meta] ao final do período seco de cada ano. Com isto nós poderemos garantir, a priori, o atendimento da demanda do ano seguinte, em função do critério de segurança que vier a ser definido pelo comitê. Isto reduz a praticamente zero a possibilidade de racionamento?, disse.

De acordo com o diretor ONS,  com o nível atingido pelos reservatórios agora no final de novembro, praticamente afasta a possibilidade de falta de energia para atender à demanda, em 2009.

?Se a gente atingir o nível de segurança da curva de aversão de risco proposta a Aneel [Agência Nacional de Energia Elétrica, de 68% de capacidade dos reservatórios] para abril , podemos afirmar que atendimento está garantido para 2008 e também para 2009. A situação hoje é bem favorável neste sentido e a necessidade de chuva para chegar a esses 68% é bem baixa?, explicou.

Chipp informou que os níveis dos reservatórios hoje estão em torno de 48% no Sudeste e 29% no Nordeste. ?Se nós já tivéssemos com o procedimento aprovado em vigor, o ideal seria que os reservatórios estivessem com um armazenamento em torno de 55% no Sudeste e 42% no Nordeste ? o que seria suficiente para garantir energia mesmo com a pior escassez da série histórica?.