Brasília – A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) defendeu nesta quarta-feira (29) a votação aberta no Conselho de Ética para o processo envolvendo o senador Renan Calheiros (PMDB-AL). A votação está marcada para amanhã e parecer da consultoria jurídica da Casa recomenda votação secreta nesse caso. Para o presidente da instituição, Cezar Britto, o voto secreto não é democrático e o voto aberto dá mais transparência e lisura ao processo.

Segundo a OAB, a idéia do voto secreto está "maculada" com o pedido de afastamento do secretário-geral adjunto da Mesa Diretora do Senado, Marcos Santi. Ele se afastou do cargo ontem depois de alegar que os órgãso da Casa vêm sofrendo pressões desde o início do processo contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A votação do processo que investiga a denúncia de que Renan teria pago contas pessoais com dinheiro de um lobista de uma empreiteira está marcada para amanhã (30) às 10 horas. A expectativa é que haja dois relatórios. Um do relator Almeida Lima (PMDB-SE), favorável à Renan Calheiros e outro, dos relatores Marisa Serrano (PMDB-MS) e Renato Casagrande (PSB-ES), recomendando a cassação de Calheiros por quebra de decoro parlamentar.