São Paulo – A 5.ª Vara Criminal de Justiça de Santo André, no ABC paulista, analisa uma nova denúncia no caso Celso Daniel, prefeito que foi seqüestrado e morto em janeiro de 2002. De acordo com o Ministério Público, o ex-vereador e ex-secretário da administração petista de Santo André, Klinger Luiz de Oliveira Souza, a então presidente da Comissão de Edificações, Rosana de Sena, e três empresários participaram de uma suposta fraude para favorecer uma empresa prestadora de serviços para a Prefeitura local, de R$ 1 milhão.

O esquema de corrupção em Santo André motivou o assassinato de Celso Daniel. ?Quando o prefeito Celso Daniel tomou conhecimento da dimensão da atuação dessa quadrilha, ele começou a tomar providência para minimizar e até impedir essa atuação. Como represália, eles resolveram eliminá-lo, contando com a participação efetiva de Sérgio Gomes da Silva e dos outros que já foram denunciados?, disse. A 1.ª Vara Criminal de Justiça de Santo André já analisa uma outra denúncia de corrupção, de R$ 26 milhões.