Santiago do Chile – O ministro de Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta segunda-feira (3), após reunir-se em Santiago com seu colega chileno, José Goñi, que o Brasil está disposto a tratar o tema dos recursos nucleares com o Chile para "promover um intercâmbio".

Diante de uma pergunta da ANSA sobre a inclusão do assunto na reunião de hoje, Jobim afirmou que "temos no Brasil um projeto da Marinha, que foi apoiado pelo presidente Lula, de enriquecimento de urânio para a construção de um submarino de propulsão nuclear, como também um projeto com a finalidade de produção de energia".

Os ministros Goñi e Jobim assinaram um memorando de entendimento e cooperação que visa promover iniciativas nas áreas de ciência e tecnologia, assim como o intercâmbio acadêmico no âmbito da Defesa.

"Todos sabemos que nos sistemas de defesa da indústria do setor, em particular, é possível incentivar um processo de pesquisa de ciência e tecnologia extremamente amplo. O Brasil é uma potência mundial no assunto e ao Chile interessa potencializar ao máximo essa relação", destacou Goñi, anunciando que os países irão desenvolver programas de pesquisa e trabalho conjunto.

O ministro de Defesa chileno afirmou que seu país tem interesse em investir mais no tema da energia, apoiar a instrução sobre as energias alternativas nas instituições e ampliar a cooperação na Antártida.

Finalmente, Goñi indicou que "nos interessa muito compartilhar iniciativas, discussões e reflexões nos processos de reforma dos ministérios de Defesa que muitos países da região estamos realizando, a modernização de nossos sistemas de Defesa".