O número de mortes provocadas por alagamentos e deslizamentos de terra na região serrana do Rio de Janeiro chega a 97. A prefeitura de Teresópolis confirmou 71 vítimas no município, que foi atingido por grandes deslizamentos de terra.

Em Petrópolis, 18 pessoas morreram em alagamentos. A força da enxurrada em uma região conhecida como Vale do Cuiabá chegou a derrubar casas, segundo o Corpo de Bombeiros de Itaipava, distrito de Petrópolis. A prefeitura, no entanto, acredita que o número de vítimas pode passar de 40. No município de Nova Friburgo, também na região serrana, oito pessoas morreram.

A Prefeitura de Teresópolis decretou estado de calamidade pública e estima que o número de desabrigados já passa de mil pessoas. A área mais atingida é a periferia do município. O governador do Estado, Sérgio Cabral (PMDB), pediu aeronaves à Marinha para facilitar o deslocamento de bombeiros e outros integrantes de equipes de resgate. Todas as secretarias estaduais foram mobilizadas para atender as vítimas e reparar as áreas devastadas.

Previsão

A situação na região serrana do Rio pode se agravar. De acordo com a previsão do Instituo Nacional de Meteorologia (Inmet), há condições para chuva ainda hoje no local. O tempo fica de nublado a encoberto, com chuvas e possíveis trovoadas. Na capital fluminense, também há previsão de chuva e tempo nublado. No litoral sul do Rio, na região de Angra dos Reis, há previsão de chuva de intensidade forte a moderada.