Brasília – O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, disse nesta terça-feira (12) esperar que o governo consiga aprovar parte da reforma tributária. Ele reconheceu, entretanto, que não será uma tarefa fácil por causa das eleições municipais que, segundo ele, tornam o ano menor, e da criação da comissão parlamentar de inquérito sobre os cartões corporativos, que poderá atrapalhar o andamento do Legislativo.

?Em seis meses antes das eleições municipais, [é difícil] resolver uma coisa como reforma tributária, o conjunto todo. O Congresso pode, caso queira, pinçar alguma coisa?, disse em entrevista aos jornalistas.

Múcio informou que, no próximo dia 21, o governo apresentará a reforma ao Conselho Político, formado pelos líderes dos partidos aliados.

O ministro negou que o acordo firmado entre o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) e o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), para investigar o uso de cartões corporativos por servidores e autoridades públicas tenha como objetivo impedir que as investigações atinjam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

?Houve acordo para que se esclareça o que tem que se esclarecer . O bom senso induz que precisamos ter responsabilidade para ver até onde se pode chegar?, disse o ministro.

Múcio reuniu-se nesta terça-feira com líderes e vice-líderes da base aliada na Câmara dos Deputados.