Brasília (AG) – O Ministério Público Federal está investigando os gastos com viagens, hospedagens e diárias feitos por quase todos os ministros do governo Lula. A partir de informações oficiais obtidas pelo deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) junto aos ministérios, enviadas ao Ministério Público, a procuradora da República Livia Nascimento Tinoco abriu procedimentos administrativos e pediu explicações aos ministros. Foram enviados 40 ofícios, destinados também à Controladoria Geral da União (CGU) e à Força Aérea Brasileira (FAB).

A procuradora enviou os ofícios com pedidos de explicação ao procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, que os remeteu aos respectivos ministérios. Os ministros têm a prerrogativa de serem oficiados pelo procurador-geral. Já chegaram caixas com relatórios de viagens na procuradoria.

A polêmica de gastos com viagens de ministros começou no ano passado, com os casos envolvendo a então ministra da Assistência Social, Benedita da Silva, e o ministro dos Esportes, Agnelo Queiroz. Benedita devolveu o dinheiro de uma viagem à Argentina, onde participou de um evento religioso em Buenos Aires, e acabou deixando o governo. Agnelo teve sua viagem a Santo Domingo, na República Dominicana, nos Jogos Pan-americanos, paga duas vezes pela União e pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e teve que devolver o dinheiro público.

Em viagens realizadas pelo ministro dos Esportes em 2003, o governo desembolsou R$ 148 mil em passagens aéreas. Além da República Dominicana, Agnelo esteve em vários outros países, como Espanha, Chile, Argentina e Angola. O ministério gastou, durante o ano passado, cerca de R$ 1 milhão com passagens do ministro e de outros servidores em vôos domésticos e ao exterior. Em 2003, Agnelo gastou cerca de R$ 15 mil com hospedagem no Brasil, em 43 viagens.

O ministro está em Atenas, acompanhado os Jogos Olímpicos na condição de representante do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Agnelo está hospedado no maior transatlântico do mundo, o “Queen Mary 2”, de alto luxo. A assessoria do ministro informou que está sendo um bom negócio porque o custo da diária é de 477 euros (R$ 1.767), com direito a três refeições. A hospedagem em hotéis de três e quatro estrelas em Atenas, segundo o Ministério do Esporte, custa 500 euros e inclui somente o café da manhã.