Rio de Janeiro (AE) – A apresentadora de televisão Mônica Santoro, ex-mulher do jogador de futebol Romário, foi denunciada ontem pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por ter deixado seu irmão, o advogado Marcelo Santoro, levar o filho dela, Romarinho, de 11 anos, até bocas-de-fumo da favela da Rocinha, na zona sul, para conviver com o traficante Erismar Rodrigues Moreira, o Bem-te-vi, chefe do tráfico local. Marcelo também foi denunciado. De acordo com o MP, a criança criou laços de amizade com o bandido, a quem vê como um ídolo.

Conversas entre Bem-te-vi e Santoro, gravadas com autorização da Justiça, e também com o menino mostraram que ele passou a admirar e a respeitar o criminoso, com quem tinha intimidade. Bem-te-vi demonstrou afeto pela criança pelo fato de ser fã de Romário, atacante do Vasco. Para o MP, ficou claro que o garoto foi exposto a um risco grande ao freqüentar festas e campeonatos de futebol organizados pela quadrilha.

?O tio levou o sobrinho, que está na fase de formação de caráter, para conviver com um bandido extremamente perigoso, que fecha túnel e apavora a sociedade?, disse a promotora Ana Lúcia Melo. Ela está convencida de que a mãe sabia dos encontros e também que o garoto viu pessoas armadas na favela. Romarinho deverá receber acompanhamento psicológico.

O promotor Márcio Mothé, da Justiça Terapêutica, criticou a conduta de Marcelo e Mônica. ?Essa mesma classe média que mora de frente para a praia e fomenta o tráfico comprando drogas, não pode levar o filho à favela, de carro blindado, para conhecer traficante?, afirmou.

Crimes

O MP denunciou Mônica, que tem a guarda do filho, pelo crime de entrega de menor a pessoa inidônea, que prevê até dois anos de reclusão. Por ter descumprido os deveres inerentes ao poder familiar, poderá ter de pagar multa de 40 salários mínimos (R$ 12 mil). Contra Marcelo pesa a acusação de exposição de menor a lugar impróprio, corrupção de menores e apologia ao crime (pena de até quatro anos no total). Não há nada contra Romário. O jogador também esteve com Bem-te-vi na Rocinha, sozinho, em jogos beneficentes.

O atacante e a ex-mulher serão chamados a prestar esclarecimentos na 1.ª Vara da Infância e Juventude. Mônica poderá ser punida com uma simples advertência ou perda do poder familiar, o que a impediria de ter qualquer contato com o filho. Ela foi procurada ontem pela imprensa, mas não retornou as ligações. A Justiça poderá determinar a retirada do garoto da casa da mãe se ficar provado que há possibilidade de ele ser levado novamente à Rocinha.

O advogado de Romário, Norval Valério, informou que seu cliente está analisando se irá ou não requerer a guarda de Romarinho.