São Paulo – A média mensal de passageiros no aeroporto Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, cresceu cerca de 51% depois do acidente ocorrido com o avião da TAM, em julho deste ano. Segundo balanço divulgado mensalmente pela Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) e apresentado em sua página na internet, o número de passageiros foi de 89.774, entre janeiro e junho de 2007, (média de 14.962 por mês) e de 67.827 de julho a setembro do mesmo ano (média de 22.609 passageiros por mês). Durante todo o ano de 2006, a movimentação de passageiros no aeroporto foi de 169.551.

O balanço também demonstrou aumento no número de embarques e desembarques realizados no Campo de Marte: entre janeiro e junho, a movimentação foi de 45.356 vôos (média de 7.559 vôos por mês); entre julho e setembro, o total de vôos foi de 23.722 (média de 7.907 por mês). Em comparação com o primeiro semestre, o período de julho a setembro registrou um aumento médio de mais de 340 vôos por mês. Cerca de 70% do tráfego aéreo do aeroporto Campo de Marte é feito por helicópteros, afirma a assessoria de imprensa da empresa.

O Campo de Marte é o quinto aeroporto ? administrado pela Infraero – com maior movimentação de aeronaves do Brasil, atrás dos aeroportos de Congonhas (São Paulo -SP), Cumbica (Guarulhos-SP), Juscelino Kubitschek (Brasília) e Galeão (Rio de Janeiro-RJ). Aproximadamente 255 operações de pouso e decolagem são realizadas diariamente no aeroporto.

Uma resolução do Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac), publicada no Diário Oficial da União de 1º de agosto deste ano, havia determinado que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) viabilizasse imediatamente o início da transferência da aviação geral do Aeroporto de Congonhas para o de Jundiaí, no interior do estado.

A Anac respondeu ontem (05) à Agência Brasil, por email, que ?neste momento, não há qualquer tipo de planejamento sinalizando transferência de vôos? de jatos particulares e táxis aéreos do aeroporto de Congonhas para o Campo de Marte (ambos na capital paulista) ou para o aeroporto de Jundiaí (no interior do estado).

A Anac também informou que ?não houve transferência de vôos do aeroporto de Congonhas para o aeroporto Campo de Marte? e afirmou que o aeroporto comporta a demanda atual de vôos. Ainda de acordo com a Anac, não houve transferência de vôos de helicópteros para o Campo de Marte, mas ?solicitação de operação de acordo com o interesse particular de cada empresa?.

O aeroporto Campo de Marte foi fundado em 1920 e localiza-se próximo à marginal Tietê. De acordo com a Infraero, o aeroporto tem uma pista de 1,6 mil metros de comprimento por 45 metros de largura, que ?está em condições técnicas para utilização?. O terminal do Campo de Marte tem capacidade para atender 45 mil passageiros por ano.

No último domingo (4), um avião Learjet, modelo A35, caiu em uma área residencial do bairro Casa Verde, na zona norte de São Paulo, logo após decolar do Campo de Marte. O acidente causou a morte de oito pessoas.