Brasília – O presidente do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), Ailton Brasiliense, defendeu ontem a resolução do órgão que exige que os motoristas tenham conhecimento de direção defensiva e primeiros socorros para renovar a carteira de habilitação. Brasiliense pediu que as pessoas não antecipem a renovação do documento para fugir da nova exigência, que entra em vigor em 22 de março, enfatizando que o objetivo da medida é reduzir o número de acidentes, preparando melhor os motoristas.

Brasiliense disse que a resolução do Contran pretende fazer com que os motoristas demonstrem conhecimento sobre direção defensiva e primeiros socorros e esclareceu que a pessoa tem duas opções: ou faz o curso sobre direção defensiva e primeiros socorros com 100% de presença ou faz a prova, sendo exigido, nesse caso, 70% de acerto, sem necessidade do curso. Indagado sobre o fato de motoristas estarem adiantando a renovação de suas carteiras para fugir da nova exigência, Brasiliense questionou: ?Será que essas pessoas sabem o que fazer se estourar um pneu e se uma criança aparecer na frente do carro, ou agir numa situação de aquaplanagem? O que se pretende é que uma pessoa, numa situação dessas, se livre ou amenize o problema?, afirmou.

Brasiliense disse que a tabela de preço do curso varia de estado para estado e achou natural que se pague por ele, mas reiterou que ele não é obrigatório.

O presidente do Contran e o ministro das Cidades, Olívio Dutra, reuniram-se ontem com o ministro da Casa Civil, José Dirceu, para discutir a realização de campanhas educativas de trânsito visando reduzir os acidentes. Segundo Brasiliense, já há no orçamento deste ano R$ 10 milhões para campanhas educativas e a idéia é tentar melhorar a forma de transportar crianças, uso de capacetes por motociclistas, consumo de bebida e excesso de velocidade. Os dois entregaram um projeto de campanha a Dirceu.